Parques de Sintra - Monte da Lua SA


Boa Prática: Parques de Sintra acolhem melhor
Descrição:

Considerando que o acesso às artes e à cultura é um direito de todos os cidadãos, independentemente das suas características e capacidades, a Parques de Sintra – Monte da Lua (PSML) encarou como fundamental tornar o Património Cultural e Natural das propriedades que gere, inclusivo. A PSML implementou o projeto “Parques de Sintra Acolhem Melhor”, pretendendo melhorar as condições de acessibilidade às propriedades sob gestão e constituí-las como exemplo de boas práticas do turismo acessível e da igualdade na oportunidade de acesso. Este projeto, com um investimento global de cerca de 2 milhões de Euros e cofinanciado pelo Turismo de Portugal em 25%, teve como ponto de partida uma base de investigação sobre as práticas globais, contando também com a consultoria de várias associações nacionais do setor, nomeadamente a ACAPO (Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal), a APS (Associação Portuguesa de Surdos) e a Associação Salvador.

Este projeto incide sobre três dimensões da acessibilidade:

  • Física, melhorando as condições de mobilidade proporcionando uma visita autónoma e segura por parte de todos, com adaptações físicas dos espaços exteriores e interiores e aquisição de novos equipamentos;
  • FÀ informação, melhorando a comunicação, independentemente das características dos visitantes;
  • Aos serviços, prestando mais e melhores serviços a públicos diversificados, garantindo uma transmissão de conhecimentos ao nível cultural mais eficaz. 
Impactes Positivos: Para além de garantir o direito à igualdade de oportunidade de acesso, otimizando a exploração de recursos turísticos, resultando em melhores condições de acessibilidade, o projeto manifestou ainda: 1) aumento do número de visitantes em 47% (2015-2016); 2) satisfação reportada pelos visitantes; 3) satisfação no atendimento e unificação do corpo técnico da PSML, cuja missão de abrir à diversidade foi seriamente considerada e colocada em prática; 4) disponibilização de procedimentos replicáveis a outros locais para forte contribuição para a investigação e para o turismo inclusivo. Realizaram-se intervenções pontuais a nível físico, como a remodelação de lojas, cafetarias e WCs, recuperação de caminhos, colocação de corrimãos e criação de novos pontos de descanso. Contudo, dada a dificuldade de realizar profundas alterações físicas, pela necessidade de salvaguarda do Património, recorreu-se à aquisição de equipamentos, nomeadamente veículos de tração para puxar cadeiras de rodas, plataformas elevatórias, rampas amovíveis, autocarros adaptados e carrinhos elétricos. Ainda, executaram-se maquetes táteis dos monumentos e instalaram-se estruturas de sinalética direcional mais inclusivas. No que respeita aos serviços, os colaboradores que contactam com o público tiveram formações sobre boas práticas e aulas de Língua Gestual Portuguesa. São ainda organizadas visitas sensoriais no Parque de Monserrate e no Palácio Nacional de Sintra, bem como visitas com intérprete de Língua Gestual.